[ jp / vlm ] [ th / k ] [ p ] [ mod ] [ irc ]

/jp/ - Japão e Cultura Otaku

2d > 3d
E-mail
Assunto
Comentar
Arquivo
:
Inserir
Senha (Para excluir arquivos)

Verifique o catálogo antes de criar uma thread nova. Eu não recebo para deletar spam.

File: 1442708905704.png (158.48 KB, 1280x720, best girl.png)

 No.1239[Ver todos]

Fio de dúvidas e perguntas sobre o Japão e sua cultura. Perguntem aqui no fio coisas que vocês querem saber que os anões tentarão lhe responder.
215 mensagens e 118 respostas com imagem omitidas. Clique em responder para visualizar.

 No.11576

>>11572

Não, depende de onde você ensina. Maioria das escolas no Japão são particulares, então depende da instituição. Mas acredito que em média é um salário razoável que da pra viver relativamente bem se for solteiro, mas não o suficiente prase construir uma família só com ele.

 No.11625

Ok, essa vai ser um pouco mais difícil.

Acho que todo mundo sabe o motivo de haver censura de genitálias no japão, mas e as palavras? Não é raro você pegar um eroge e ter censura quando as garotas falam ochinchin, chinko, chinpo, manko, etc. Sempre que falam tem um *pih* no meio. O mesmo vale para alguns hentais que até evitam de falar, eu achei que a censura de genitálias tivesse relacionado à isso, mas parece que não, já que 2 animes dessa temporada também usaram essas palavras e não rolou censura.

Para quem consome esse tipo de material é um belo pote de ouro achar um eroge que não tem esse tipo de censura, digo isso por experiência própria.

 No.11628

File: 1492359402463.png (1.15 MB, 1280x720, [GJM] Space Patrol Luluco ….png)

>>11625
Acho que não tem nenhum motivo em especial, só pra dar tempero ao jogo. Não duvidaria que há pessoas que curtem esse tipo de coisa.

 No.11634

File: 1492387824880.jpg (219.02 KB, 840x962, Kimosa.jpg)

>>11625
Acho que era mais comum a falta de censura nas décadas passadas.
Após o surgimento da Internet, mangas e animes ficaram mais comportadinhos, pois fora do Japão, ninguém sabia das putarias contidas neles e algumas vozes de exterior começaram a azucrinar.
Conteúdos de Shōnen Magajin ou Bouken-ou da década de 70 eram mais pesadas na minha opinião.

 No.11637

>>11628
Eu sou um desses. Meua migo, existe doujins em formato de audio, são a melhor coisa que você pode ouvir.

 No.11639

>>11625

Existe um a regulamentação pra esse tipo de coisa, semelhante a que temos aqui. Então algumas coisas são censuradas e outras não. Por exemplo, penis, vagina são censurados, mas pau e pinto não, pois são palavras com duplo sentido.

 No.11659

File: 1492562686982.jpg (205.54 KB, 926x1077, 1492294044204.jpg)

Temos algum anão não-descendente que mora/já morou no Japão por aqui? Por um período considerável, é claro.
Quais são as formas possíveis de tornar isso realidade?
Falam de emprego, e estudo, mas isso só vale pra quem estuda em alguma Federal (Ciência Sem Fronteiras) ou trabalha em alguma empresa que pode, por ventura, te transferir pra terra do sol nascente?

Pra um anão de 23 anos que ainda não está fazendo faculdade e não tem um emprego (nem se decidiu sobre qual área seguir), qual seria o caminho das pedras pra chegar no Japão?

(Me casar com uma pasteleira está fora de cogitação. Os únicos Japoneses que conheço são meus professores de Japonês.)

 No.11662

File: 1492564728861.png (1.14 MB, 1360x768, Davido-kun.png)

>>11659

Não cheguei a morar, mas conheço um descendente que morou lá por volta de 10 anos, casou e teve filhos lá e um japonês que migrou pra cá.

Se você não é descendente as formas que você pode ir pra lá pra morar são: como empregado de uma multinacional, como professor de inglês, como investidor ou via intercâmbio.

O mais viável pra você é um intercâmbio na minha opinião.

 No.11663

File: 1492565897909.gif (27.59 KB, 590x332, bolsas_estudo_japao_mext.gif)

>>11659
>>11662
Bolsas do MEXT também é uma forma, tem várias modalidades como graduação, pós, curso profissionalizante, etc. Esses dias eu estava vendo uma revista acadêmica e cruzei com um artigo sobre filosofia japonesa, o cara que escreveu fez o mestrado no Japão e depois voltou para cá, ficou uns 2 anos lá pelo visto através de uma dessas bolsas.

http://www.sp.br.emb-japan.go.jp/pt/cultura/bolsa1.htm

 No.11664

>>11663

Não tinha comentado pois o anão falou que não estuda e nem sabe o que quer estudar, já que é algo semelhante ao Ciência sem fronteiras.

 No.11674

File: 1492623646615.png (186.56 KB, 480x360, 1442599753526.png)

>>11659
Você precisa de alguém que banque seu visto de longo prazo. Esse alguém pode ser cônjugue, uma empresa ou uma instituição de ensino.

Tenho um colega que foi convidado por um professor a ir para uma universidade japonesa fazer um curso (ou algo do tipo) por um mês. Após o curso, o sujeito acabou ficando por mais algum tempo ajudando em pesquisas. O ponto aqui é que essa pessoa está terminando seu doutorado.

Se você fosse descendente, poderia ir para lá trabalhar como peão de fábrica e, uma vez lá, tentar conseguir algo melhor. É o que pretendo fazer após terminar minha faculdade, no fim do ano.

Então, se quiser fazer sua vida lá, você tem algumas opções e nenhuma é fácil: ensino superior; obter destaque na sua área de atuação profissional, de modo que alguém no Japão queira seus serviços; fazer carreira numa multinacional japonesa e convencê-los a te mandarem para lá; ou o caminho que é mais comum aqui no Brasil - se casar com uma descendente. Boa sorte, anão.

 No.11679

>>11674
>fazer carreira numa multinacional japonesa e convencê-los a te mandarem para lá
Isso me lembrou um caso que eu vi de uma pessoa que trabalhava no Banco do Brasil e foi trabalhar no Japão pois o BB abriu agências por lá, então ficou uns anos no Japão. O curioso é que quando ele foi para lá não sabia nada da língua, ele foi porque precisava de alguém que se dispunha a ir trabalhar lá com mais uma meia dúzia de brasileiros. Tem algumas empresas que expandem para países estrangeiros, talvez seja uma boa opção também (empresas grandes que buscam abrir filiais em outros países ou trabalhar em outros mercados).

 No.11680

>>11674
Topa fazer um casamento gay comigo e me levar junto?

Eu sou hétero. A gente casa de mentirinha e vive como bros no glorioso, cada um com sua waifu.

 No.11710

File: 1492879199142.jpg (114 KB, 500x400, cowboy Tanaka.jpg)

>>11662
A que exatamente você se refere quando diz "intercâmbio", anão?
Já fiz um intercâmbio para a Inglaterra, mas foi apenas por um mês para estudar Inglês e foi através de uma agência de intercâmbio.
Que tipo de intercâmbio me possibilitaria viver lá? E, se for do mesmo tipo que eu fiz, imagino que sairia uma fortuna.

>>11663
Estava cogitando o MEXT. Minha sensei estava falando sobre ele comigo nessa semana, mas parece ser bem concorrido.

Qual seria a dificuldade média do MEXT? Já temos algum anão que já fez a prova e conseguiu uma bolsa neste recinto?

Qual seria a categoria mais fácil para se conseguir uma vaga? Imagino que Graduação seja a mais concorrida.

>>11674
O mais engraçado é que é muito comum ver macacos sem nenhuma ligação com o país indo viver por lá, como se fosse extremamente simples.
Uma antiga professora de Sociologia minha simplesmente foi morar lá no ano retrasado, provavelmente por causa do seu marido, que deve ter sido transferido.
Ela não tem NENHUMA ligação com o país, sequer fala Japonês.

Uma senpai da minha escola de Japonês também está estudando pela mesma razão: Marido transferido, terá que viver por lá.

Eles fazem parecer tão simples que é detestável.
Adoraria me casar com uma pasteleira, mas imagino que precisaria de muita sorte.

 No.11712

File: 1492880103489.jpg (94.1 KB, 960x540, battle.jpg)

>>11710
>A que exatamente você se refere quando diz "intercâmbio", anão?

O mesmo sistema que você fez na Inglaterra, você pode fazer por uma instituição de ensino e fazer home staying lá pra estudar japonês. Sim, é uma fortuna.

Sobre Mext, acho que conversei com uma conhecida sobre isso e além de uma prova, você faz uma entrevista pra eles selecionarem. Se não for Mext é outro programa.

 No.11730

>>11712
>>11710
Acredito que a entrevista não vá matar o anão. Boa sorte e lembre-se de servir de proxy para os anons querendo importar LO's.

 No.11731

>>11730

Matar não vai, mas se for o que estou pensando é muito difícil passar, tanto porque é concorrido. Also, é mais uma apresentação que entrevista. Se ele quiser tentar, recomendo duramente ele pesquisar sobre como funciona e se preparar MUITO.

 No.11733

>>11710
Na época em que eu considerei fazer a prova do Monbusho, há vários anos, costumava frequentar uma comunidade no finado Orkut para buscar conhecimento. Lembro de ver algumas provas de graduação para exatas e desisti porque era burro demais. Pelo o que eu saiba, não mudou muita coisa de lá pra cá, então acho que pode lhe ajudar um pouco.

https://orkut.google.com/c12258594.html

>>11680
N-não…

 No.11787

File: 1493092654486.gif (40.43 KB, 243x236, yotsuba 3.gif)

>>11730
>>11731
>>11733

Pesquisei algumas coisas em fóruns gringos, e parece que é mesmo muito difícil de conseguir. Principalmente na América do Sul, já que a demanda parece ser maior por aqui.
Não sei porque estava com expectativas irreais sobre isso. É óbvio que é muito difícil. Estou me sentindo um idiota.


Acho que vou voltar pro plano de me casar com uma pasteleira. Deve ser mais fácil.

Será que ela precisa existir?

 No.12513

File: 1496449251111.jpg (117.2 KB, 777x700, 1491427270435.jpg)

Mandioca: evite de dar notas grandes na hora de pagar, e sempre que possível pague no valor exato.

Acabei levando uma bronca por pagar com uma nota de 1000, sendo que tinha várias moedas no bolso.

 No.12526

>>12513
Parece um típico caso de xenofobia. Duvido que fariam isto para qualquer outro cliente.

 No.12527

>>12526

No caso foi um amigo japonês que falou isso.

Ele disse que era algo para facilitar a vida da dona da lojinha.

 No.12615


 No.12616

>>12615

Isso é MEXT e já foi discutido aqui: >>11712 >>11731 e >>11787

 No.12617

File: 1497046500102.jpg (53.65 KB, 1280x720, [HorribleSubs] Haifuri - 0….jpg)

>>12616
Não confie em você, confie em mim que eu confio em você.

 No.12648

File: 1497119835350.png (230.43 KB, 485x521, Kyouko_Kyoko_Kirigiri_Half….png)

Eu sei que muitas pessoas já fizeram essa pergunta mas, quais são as chances da indústria acabar de vez? Gostaria de apresentar essa questão por um prisma diferente.

Algumas semanas atrás, eu estava dando uma olhada nesse artigo da Wikipédia: https://en.wikipedia.org/wiki/North_American_video_game_crash_of_1983

Quais são as chances de acontecer algo semelhante com animes? Cada temporada que passa vejo mais e mais gente reclamando que não há nada bom pra ver ou que vai esperar reação geral pra pegar algo pra assistir, e como as vendas continuam a cair, animadores recebendo menos do mínimo que se dá pra viver no Japão, etc, etc.

Em outras palavras, mesmo que se recuperem depois, quais as chances da indústria acabar "explodindo"?

 No.12649

>>12648
Crash seria financeiro, os shekels que animes fazem estão mudando de cara mas ainda existem.
Ainda sonho com um segundo crash da indústria de jogos para que finalmente tenhamos uma revitalização, pensando desta forma talvez um crash na indústria de anime faria algo de bom, teriamos menos anime, claro, porém finalmente voltariamos a ver animes feitos com o coração e não com intenções judaicas, algo que poucos fazem atualmente (vou tirar do meu cu e falar que Shaft, Kyoani, Ufotable e Trigger ainda fazem animes tirados do kokoro).

 No.12654

File: 1497121519869.png (1.15 MB, 900x1200, 1469996590132.png)

>>12648

De anime? Baixas.

Única forma de alguma mudança ocorrer na atual indústria de animarias japonesas seria uma mudança brusca nas políticas japonesas que afetariam de alguma forma. Por exemplo, Abe sair e a oposição entrar e dar mais forças a censuras, levando ao banimento de lolicon/shotacon e outras coisas.
No mais, economicamente por enquanto acredito que vai demorar muito e só se não fizerem nada.

 No.12667

File: 1497132016688.jpg (123.49 KB, 598x458, 1427015827227.jpg)

>>12649
>>12654
>indústria finalmente morre
>estúdios como KyoAni, Shaft, etc que antes eram líderes no ramo finalmente falem
>não sabem o que fazer com tanto material que sobrou porque ninguém compra mais
>enterram tudo em algum terreno baldio, tudo por baixo dos panos
>vira uma lenda urbana que de tempos em tempos alguém relembra
>inb4 a lenda era que somente cópias de Musaigen No Phantom World e Munto foram enterradas porque literalmente ninguém comprou
>anos passam
>por algum motivo resolvem desenterrar o terreno pra ver se é verdade
>todos os BDs, DVDs, figures, goods de todos os tipos e de todas as franquias pertencentes à esses estúdios estavam enterradas
>começam a vender tudo no Yahoo! Auctions por mais de 220,000 anime dollars por causa do valor histórico™

Imagina só que louco seria.

 No.13480

O fio sobre morar no Nihão não existe mais? Que coisa.
Vou utilizar este aqui mesmo, já que é do mesmo tópico.
Estou seriamente estudando sobre me mudar para a terra do sol nascente e requesto protips, desde comunidades internacionais e/ou brasileiras, até o uma lista negro do que caralhos evitar. Xenofobia não é um problema pra mim, sou descendente mas não tenho família lá (tinha, mas todos voltaram).
Não, não tenho casa, sei atualmente algumas dúzias de kanjis, mas se me ajeitar com trabalho/visto, planejo estudar diariamente umas 4 horas de japonês, pagar curso e aprender no mínimo toda a gramática até o dia da viagem.
Segundo meus cálculos, o gasto básico que terei será de ~140K por mês (aluguel, água, luz, gás, internet fixa, internet móvel e comida). A expectiva mínima de salário é de ~190K em 5x2, que não é lá muito bem a realidade de 12 horas que é o esperado, mas o importante é conseguir se manter e sobrar dinheiro. Até 6x1 é tranquilo, afinal é a minha realidade aqui na HUElandia.
Fode não, só queria um parente para parasitar.

>>11710
>Adoraria me casar com uma pasteleira, mas imagino que precisaria de muita sorte.
Se você não for um completo fresco com beleza, não deve ser tão difícil. É só participar das atividades culturais que você logo conhece mais japonesas do meio, suas famílias, puxa o assunto sobre a descendência dela casualmente e vai filtrando até encontrar uma para investir. Agora, encontrar uma com família no Japão, que saiba japonês, bonita e que tenha vontade de morar lá, talvez dê um pouquinho de trabalho. Mas encontrar um grande número de japonesas em potencial não é tão difícil.

 No.13550

>>12648
Eu sou oficialmente otaku desde 2007, por aí. E pode acreditar: desde aquela época, todo ano, sem falta, sempre existem os mesmos tipos de rumores. Em 2007 um monte de gente também falava que só tinha anime ruim, e que a indústria estava prestes a falir, etc., etc. E em 2008 também. E em 2009 também. Em 2015, a indústria de animes teve o maior lucro de todos os tempos, e um monte de gente continuava falando que ela estava prestes a falir.

Não tem como acontecer com animes a mesma coisa que aconteceu com a Atari. No ramo de videogames só existem poucas empresas com console próprio. Hoje em dia, Nintendo, Sony e Microsoft. Então se uma dessas 3 se ferrar, realmente vai dar um baque grande. Mas com animes são dezenas de estúdios diferentes. No pior dos casos possíveis, o máximo que pode acontecer é a quantidade de estúdios diminuir. E essa história de que os animadores não têm dinheiro nem pra comprar pão é mito também. Quando os estúdios realmente querem economizar, eles contratam animadores de outros países, como o Vietnã, onde os salários são em média bem menores que no Japão.

Até acho que os animes antigos eram melhores mesmo, na média. Mas é porque eram lançadas muito menos séries. Tô chutando, mas por exemplo, antigamente tinha 10 séries por temporada. Hoje em dia tem umas 30. Como a quantidade de séries aumentou muito, a quantidade de animes porcaria sempre vai aumentar junto.

Mas sempre vai ter esse tipo de rumores. Isso é espalhado mais por sites sensacionalistas, e também por gente que não gosta de animes, tipo esses fanboys de videogame, que há décadas sempre falam que "a Sony está prestes a falir" ou que "a Nintendo vai falir a qualquer momento".

 No.13557

File: 1501972395564-0.jpg (6.23 MB, 4032x3024, IMG_20170805_164717.jpg)

File: 1501972395564-1.jpg (5.2 MB, 4032x3024, IMG_20170805_161533.jpg)

File: 1501972395564-2.jpg (6.37 MB, 4032x3024, IMG_20170805_162004.jpg)

File: 1501972395564-3.jpg (2.25 MB, 4032x3024, IMG_20170805_155254.jpg)

As Sakuras estão florescendo no Parque do Carmo, São Paulo. Ainda deve dar para vê-las por mais alguns dias.

 No.13558

>>13557
Creio que seja do tipo Okinawa-zakura.
O tipo mais apreciado no Japão é o Somei Yoshino e Shidarezakura mas o mais bonito é o Yaezakura.

 No.17050

File: 1517951322147.jpg (864.99 KB, 1000x1214, BB.jpg)

Não é bem uma pergunta sobre o glorioso, mas é sobre viagens ao glorioso. Ouvi falar que o Banco do Brasil permite que saquemos de nossa conta brasileira o valor diretamente em Yenes se estivermos nas agências do BB no glorioso. Alguém já utilizou deste serviço? Qual é a taxa cobrada? Eu tentei procurar mas não encontrei.

 No.17055

File: 1517961474545-0.png (1.9 MB, 4962x3508, Indústria de anime em 2017….png)

File: 1517961474545-1.png (1.49 MB, 4962x3508, Indústria de anime em 2017….png)

>>12648
Apesar de que 4 em cada 10 estúdios estão na linha vermelha, o mercado prossegue com estabilidade. Quem reclama e mete a indústria no meio dizendo que ela está decaindo confunde gosto com produção. A real é que há pouca mão de obra dentro do glorioso para suprir a demanda, especialmente por causa da questão salarial dos animadores que há décadas obriga os comitês de produção a terceirizarem o serviço em outros países.

O que está em uma crise séria é o mercado de mangás.

 No.17061

>>17055
>overseas
Pelo que entendi overseas são as licenças para redes de televisão em outros países ao redor do mundo?
Caso for isso, eu realmente queria ver mais detalhando essa parte já que o grosso do dinheiro deve ficar algumas obras "populares".

 No.17102

>>17050
Já fiz isso. É uma operação de cambio basicamente, não lembro se custou algo mas lembro que a taxa de câmbio pelo caixas eletrônicos nas 7-Eleven era mais atrativo.
Dava pra simplesmente colocar seu cartão de débito de conta corrente lá e sacar, nas 7-eleven mesmo.

Mas não garanto nada porque:
1. foi 5 anos atrás
2. é melhor você se certificar com algum gerente na sua agência que vai conseguir fazer isso

 No.17104

File: 1518212698708.jpg (356.56 KB, 604x659, genshiken_1.jpg)

Vou pro glorioso no meio do ano ficar na casa de um amigo em Tóquio e pretendo gastar uma quantia razoável em figures e merchs, principalmente figures usadas em Akiba. Quero comprar figures grandes que ficariam caras demais pra comprar do Brasil, são as que eu mais gosto. Mas minha dúvida é, vocês sabem se posso comprar até a bunda cair e nenhuma foda será dada na hora de voltar, ou corro o risco de ter que pagar imposto? Quanto posso trazer sem precisar declarar e sem a alfândega estranhar/pensar que é pra revender?
Meu objetivo era comprar uma bagagem extra não muito grande no Nihão e enchê-la com meus pertences. Claro, não vou comprar muitas figures, não sou rico, mas estou preocupado com a quantidade porque pretendia realmente dar uma investida legal na minha coleção nessa viagem.

Also, podem me sugerir lojas famosas onde posso encontrar figures usadas por um preço camarada por lá?

 No.17105

File: 1518213689835.jpg (69.73 KB, 960x720, 1438480452_hot glue.jpg)

>>17104
Você está no fio errado.

>>15667.

 No.18323

File: 1534709524810.png (382.23 KB, 650x400, ClipboardImage.png)

Gostaria de tocar em um assunto com os confrades que talvez interesse à muitos por aqui: Morar na terra do sol nascente.

Eu gostaria de poder viver no glorioso por um período curto, pela experiência. Não gostaria de morar para sempre. Pensei que eu talvez pudesse ir como professor de Inglês, mas com dez minutos de pesquisa já pude concluir que seria muri pois Inglês não é minha primeira língua. Nem com um certificado seria tão fácil, só faculdade (e não tenho a menor intenção em me formar nessa área).

Com 40 minutos de vídeo um americano que foi pro glorioso ensinar Inglês me convenceu a desistir da ideia mesmo que eu fosse nativo, não tem nada a ver com o glamour que os professores japoneses que vêm ensinar Japonês no Brasil pela JICA recebem.

Fora isso, a vida parece só me dar três opções: MEXT (extremamente improvável), ser transferido pelo emprego (pouco provável pois é aleatório) e me casando com uma japonesa (improvável, mas de longe o mais provável).

MEXT: Com 15 minutos lurkando no Google você consegue entender o tamanho dessa porcaria. É uma competição desgraçada e extremamente acirrada, um exame difícil pra dedéu nos padrões japoneses e eu não tive cérebro nem pra vencer no ENEM/vestibular brasileiro, fui pra uma particular logo de cara. Também não teria nem tempo hábil pra me preparar pra isso. Vi na internet que tem gente aqui da América do Sul que vai prestar o exame em outros países pra tentar escapar da concorrência, de tão insana que é por aqui, kek. Sem falar que ainda podem te eliminar pela entrevista.

Transferência pelo emprego: Depende do seu emprego, e não é todo emprego que vai te mandar exatamente pra onde você quer. Podem te mandar pro glorioso como podem te mandar pro Sudão ou pra Mongólia, não dá pra saber.

Casando-se com uma japonesa: Fica difícil. Já fui pro Nipão e é difícil como a foda ter contato com nativas não-promíscuas, estrangeiro no glorioso só tem presença quando é loirinho de olhos azuis e vem de algum lugar legal. Latino não é estrangeiro em lugar nenhum, talvez na África ou outros poços de fezes do tipo. Infelizmente somos quase como baratas, estando um pouco acima de chineses e indianos. Não dá pra contar com o bônus racial.

Minha pergunta é: os senhores conhecem mais alguma alternativa fora as que eu citei?

 No.18324

>>18323
>Morar na terra do sol nascente.
Anãozinho, ao meu ver isso é furada se você não tiver um foco gigantesco em uma vida "segura".
As grandes cidades japonesas são como países a parte do glorioso (igual Sampa e Rio de Janeiro não são o Brasil).
Tirando essa questão, o primeiro passo é colocar o japonês no bolso, algo que é extremamente difícil ou estar dama para viver no meio de uma colônia brasileira na terra do sol nascente.
Talvez um método estranho, mas que é provavelmente funcional é perguntar para youtubers brasileiros que vivem lá. Eu sei parece retardo mental, mas reposta deles vai ser um banho de água fria que normalmente toda pessoa sonha ir para lá precisa. Nunca testei isso.

>Casando-se com uma japonesa

Casamento é uma furada em qualquer sociedade fazer isso com uma japonesa é algo ainda mais arriscado ainda. Mesmo for casamento de fachada é preciso algum tempo parceria para garantir que não apronte para cima de você.
Tente usar um aplicativo de paquera só para tentar fazer amizade e ganhar um suporte com japonês para você ver como elas são.
Caso tiver querendo contato com homens só por amizade eu aconselho comprar um serviço VPN e brincar no Futuba.
Japão parece muito com Brasil na questão de morar apesar das gritantes diferenças. É um lugar legal para visitar se você tiver dinheiro, mas horrível de se viver se for pobre.

 No.18328

>>18324
Eu concordo com morar no glorioso ser uma furada das grandes, e eu jamais pensaria em morar pro resto da vida. Eu só tenho uma grande vontade de vivenciar a experiência de morar em outro país por uns dois anos, acho que só pra poder sentir que já morei fora. Deve ser uma experiência cultural muito boa.

É como você disse, glorioso pode ser uma maravilha para se visitar (se tiver dinheiro), mas morar parece ser um tiro no pé. É só que depois de conhecer programas para japoneses como os da JICA, que trás professores japoneses para ensinar japonês aqui no Brasil (por 2 anos), eu estava esperançoso de que talvez encontrasse um programa parecido para pelo menos poder compartilhar e dividir minha cultura. Já tive muito contato com esses professores por aqui e todos são muito bem recebidos, com abraços quentes, muito bom humor e carisma. Acho que meu erro foi imaginar que isso não é só porque brasileiros adoram puxar uma sardinha pra qualquer gringo, e que um programa bonitinho desses jamais existiria no glorioso para nós, hue. Talvez para americanos ou estrangeiros de algum país "legal".

Mas você me deu uma boa ideia, vou tentar perguntar para algum memetuber que esteja morando por lá se existe algo parecido com o que eu quero.

 No.18331

>>18328
Ok, maior parte da postagem vai ser com base em meus achismo, mas vamos lá:
>Eu concordo com morar no glorioso ser uma furada das grandes,
Não é tão das grandes, mas questão toda bagagem que você tem por ser brasileiro vai ser algo para aviadãoalhar. Por mais que não gostamos do Brasil, nós temos maninhas por viver no mesmo.
Se você quiser ser um Otaku de quarto que esconde o Power Level nos momentos normais, lá vai um lugar de boa se conseguir fazer dinheiro.
>Eu só tenho uma grande vontade de vivenciar a experiência de morar em outro país por uns dois anos
Bem, faça isso enquanto estiver na universidade. Pelo jeito você perdeu a chance de participar do Turismo sem Fronteiras quando era mais simples. Nesse caso valeria 100% a pena.Eu acho.
>e que um programa bonitinho desses jamais existiria no glorioso para nós
Isso se deve ao motivo que o Turismo sem fronteiras era programa favorito dos universitários. Sem responsabilidades sem custo. Para que você vai trazer para seu país um bando de estudantes ricos para macaquear lá?

 No.18335

Já leram sobre a bolsa de pesquisa do MEXT? Você tem até 34 anos para obter um diploma em uma faculdade respeitável e submeter uma proposta de pesquisa que seja aceita. Depois, passa 2 ou 3 anos no glorioso, fazendo pesquisa. O meu plano é estudar o estado da arte de Robótica e Inteligência Artificial como um louco e submeter minha aplicação eventualmente. Enquanto estiver lá, procurarei por um emprego e, se tudo der certo, começaria a trabalhar assim que meu visto de estudante acabar. A bolsa é de 150k円/mês, deve ser suficiente para cidades médias, certo? O meu trem de raciocínio faz sentido ou é mania de grandeza?

 No.18337

File: 1534865371714.png (170.63 KB, 339x353, cansaço.png)

>>18335
>O meu trem de raciocínio faz sentido ou é mania de grandeza?
Depende das suas capacidades, irmão anão. Pra mim esse plano já estaria melado, estou me formando em uniesquina e não estou nem conseguindo acompanhar o curso de tão burro que sou. Essas coisas que exigem destaque ou bolsas não são pra mim. Meu negócio é ver o preço, pagar e ir pro abraço. E olha que não sou rico, é só que é mais fácil pra mim correr atrás do dinheiro do que ficar esperando ter algum sucesso em coisas assim.

Sem falar que é MEXT, leve em consideração que estamos em uma das regiões mais concorridas do planeta. Enfim, mas não sei como o MEXT é pra coisas assim. Você já rasga a boca do balão no Nihongo?

 No.18338

>>18335

Diria que é mais fácil entrar em uma empresa japonesa que tenha uma sede no Brasil, e se tudo der certo, pedir transferência para o Nihon.
É um processo que leva muito tempo, mas que certamente vai ter um impacto forte na hora de procurar emprego lá fora.

 No.18726

File: 1542670573324.png (638.27 KB, 1200x576, ClipboardImage.png)

Vocês já tentaram importar cerveja do glorioso?

Tentei comprar pela Amazon, mas o próprio site avisa sobre o Brasil não permitir a importação de bebida alcoólica.

 No.18732

File: 1542769127801.png (491.52 KB, 771x727, 1521638769014.png)

>>18726
Bebidas alcoólicas está na lista de produtos proibidos de importação, como você mencionou, então sugiro que tente procurar um distribuidor autorizado por aqui mesmo. O preço vai sair salgado, mas é assim que funciona nessa vadia de país.

 No.18734

>>18726
Vende Kirin Ichiban na liberdade.

 No.18737

>>18732

A Receita Federal só proíbe bebidas que já são fabricadas aqui no Brasil, caso contrário seria impossível você encontrar qualquer bebida importada por aqui.

Queria comprar Strong Zero e alguns cigarros com aroma de chocolate, pena que está difícil de encontrar um site que não esteja bloqueando de forma genérica bebidas e cigarros para importação.



[Voltar][Vá para o topo] [Catalog] [Post a Reply]
Deletar Mensagem [ ]
[ jp / vlm ] [ th / k ] [ p ] [ mod ] [ irc ]